Biópsia de Próstata

É um procedimento indolor que pode ser feito em um consultório médico. Uma agulha longa e fina é inserida na próstata para coletar uma pequena amostra de tecido que será examinada. Este teste pode revelar infecções e células anormais. O procedimento é indicado  para todos os pacientes nos quais se detectam (ou suspeitam) nódulos na próstata. Cerca de 50% destes nódulos não são malignos, porém a biópsia é a única maneira de diferenciar um câncer de um tumor benigno.

Esse exame também é indicado no caso de alteração de níveis do PSA (antígeno prostático benigno) no sangue, que é uma substância produzida tanto em células normais, quanto cancerígenas.

 

Procedimentos

1. Biópsia com ultrassom
A maioria das biópsias são executadas com o auxílio do ultrassom.  A sonda de ultrassom é introduzida no reto, possibilitando a visualização da glândula prostática. No caso de identificação de uma anormalidade (lesão), a agulha será posicionada nesta área afim de se obter uma amostra de tecido. Frequentemente realizam-se   biópsias múltiplas (seis ou mais). Isso ocorre devido ao fato de que alguns tipos de câncer não são visíveis pelo ultrassom. Biópsias múltiplas podem determinar a causa e a extensão da anormalidade.

Biópsia com Ultrassom

 

2. Biópsia sem ultrassom
Algumas biópsias são realizadas sem ultrassom. Neste caso, introduz-se o dedo, ao invés da sonda, no reto para se apalpar a área da lesão. Então a agulha é inserida na área para se obter uma amostra do tecido.

- - - - - - - - - - - - - Para retornar ao menu anterior, basta fechar esta janela - - - - - - - - - - - - -