Assunto: Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

Págs. (1)   (2)   (3)

HPV (Condiloma) - ver DST

 
O que é HPV?

 

Verrugas genitais

Verrugas após penoscopia

O HPV (papilomavírus) é um vírus que infecta a pele do ser humano e que pertence a uma grande família com mais de 100 diferentes tipos. Enquanto alguns tipos de HPV se desenvolvem melhor em determinadas áreas do corpo como mãos ou pés, outros têm preferência pela área genital. A infecção genital pelo HPV é, na maioria dos casos, transmitida sexualmente. Entretanto, a possibilidade de contaminação através de objetos como toalhas, roupas íntimas, vasos sanitários ou banheiras não pode ser descartada. Estima-se que mais da metade das pessoas que tem ou já tiveram relação sexual já entraram em contato com o vírus em algum momento de suas vidas.

Este vírus, após o contágio, pode permanecer "adormecido" (sem causar lesões), provocar o aparecimento de verrugas (mãos, pés, genitais ou outras localizações) ou induzir o desenvolvimento de câncer genital e anal.

Molusco contagioso

As verrugas genitais se assemelham às verrugas de outras partes do corpo e, assim como estas, geralmente são assintomáticas.  Podem ser únicas ou múltiplas, pequenas ou grandes, cor da pele, róseas ou acastanhadas. Se não tratadas, podem crescer em tamanho e número, adquirindo aspecto semelhante ao da "couve-flor". Vulgarmente, as verrugas genitais são conhecidas como "crista de galo"; os médicos as chamam de condiloma acuminado. Apesar dos vários nomes, todos se referem a mesma lesão.

 

Quanto tempo após ser infectado surgem as verrugas genitais?

A incubação, ou seja, o período necessário para surgirem as primeiras manifestações da infecção pelo HPV é de aproximadamente 2 a 8 meses, mas pode demorar até 20 anos! Assim, devido a esta ampla variabilidade para que apareça uma lesão, torna-se praticamente impossível determinar em que época e de que forma um indivíduo foi infectado pelo HPV.

Qual a relação entre o HPV, as verrugas genitais e o câncer?

Os tipos de HPV relacionados ao câncer genital e anal, normalmente não são os tipos que causam as verrugas genitais; estas últimas costumam ser causadas por tipos de "baixo risco".

Um pequeno número de tipos de HPV chamados de "alto risco" está relacionado ao desenvolvimento de câncer de colo de útero, vagina, vulva, pênis e ânus. Todos estes cânceres possuem tratamento e podem ser detectados precocemente através de exames simples e periódicos, ou seja, em consulta médica de rotina.

Como as verrugas genitais são diagnosticadas?

Conforme a localização das lesões, pode ser difícil verificar a presença de verrugas genitais apenas pelo auto_exame. Nem sempre é possível notar a diferença entre verrugas e outros tipos de lesões de pele. Desta forma, sempre que houver suspeita de infecção pelo HPV, é altamente recomendável procurar o médico. Este profissional poderá não só orientar e tratar, como também realizar exames apropriados, caso sejam necessários. De forma geral, o diagnóstico das verrugas genitais pode ser realizado durante simples consulta.

É normal se sentir decepcionado/deprimido após receber o diagnóstico de infecção pelo HPV ou verrugas genitais?

Sim, muitas pessoas se sentem decepcionadas. Podem ocorrer sentimentos de vergonha, diminuição de desejo sexual, medo de ter câncer, revolta contra os parceiros sexuais, mesmo que normalmente não seja possível saber exatamente em que época ou de que forma ocorreu o contágio pelo vírus HPV.

Como se faz a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST), inclusive o HPV?

Alguns cuidados são fundamentais na prevenção de qualquer DST como a infecção por HPV ou verrugas genitais:

  1. Reduzir o número de parceiros sexuais. Quanto maior o número de parceiros, maior o risco de contrair/transmitir qualquer DST, inclusive o HPV e o vírus da AIDS;

  2. Uso consistente e correto de preservativos (masculinos ou femininos), para todos os parceiros sexuais, desde o início até o fim da relação sexual. O uso de preservativos reduz muito a probabilidade de se adquirir/transmitir uma DST, inclusive o HPV e o vírus da AIDS. Qualquer DST funciona como um fator facilitador na aquisição e transmissão do vírus da AIDS (HIV).

  3. Se houver suspeita de que o parceiro sexual tenha qualquer DST é altamente recomendável consultar o médico. Até que isto seja feito, também é recomendável abster-se das relações sexuais com este parceiro, até que o tratamento seja realizado, se for o caso.

  4. Não se auto-medicar, pois desta forma a DST pode ser "mascarada", ou seja, parece que foi tratada mas continua ativa.

  5. Não compartilhar objetos de uso íntimo com outras pessoas e fazer higiene de objetos de uso comum antes do uso (p.ex. vaso sanitário)

Como se tratam as verrugas genitais?

Existem várias opções de tratamento, que variam desde métodos que destroem as lesões e que são realizados no consultório até cremes auto-aplicáveis de alta tecnologia que, além de tratarem as verrugas, diminuem o risco de recorrência das mesmas. Converse com seu médico sobre as opções de tratamento que sempre devem levar em conta a relação custo-benefício, ou seja, custo, taxa de cura, conveniência, tamanho, distribuição das lesões, índice de recorrência e possíveis cicatrizes após o tratamento.

Medidas gerais também são importantes para ajudar a melhorar os mecanismos de defesa como: diminuir o estresse, parar de fumar, alimentação equilibrada e horas de sono adequadas.

Tive fimose até os doze anos, quando ela rebentou. Hoje com 35 anos, tenho um pouco de pele cobrindo a glande e noto dificuldade de expor a mesma (fica parecendo pênis bico de chaleira), que fica irritada e coça, assim como o prepúcio também. Fui ao médico e ele insiste em dizer que é candidiase, só que já usei a pomada que ele receitou e não adiantou nada. O que será que tenho e o que devo fazer?

Primeiro, faça um exame de glicemia, pois os diabéticos têm uma candidíase rebelde ao tratamento clínico e muitas vezes fazemos este diagnóstico pela postite de repetição. Se o exame for normal, fique mais tranquilo. Segundo, independente das queixas ou não, o CASAL deve ser tratado, com as mesmas drogas orais, para não se trocar germe, isto é, um melhora o outro piora. Até lá, mantenho pênis seco e limpo (com sabão normal mesmo), pois o fungo adora calor e umidade.