Assunto: Sexo e Prazer

 
É verdade que a uretra feminina (canal da urina) pode ser uma fonte de prazer ?

A uretra feminina é uma estrutura "colada" à vagina, portanto existem terminações nervosas sensitivas em comum com esta, podendo haver nela estímulos que sejam interpretados como "prazerosos" pela mulher, não sendo aconselhável entretanto, o uso da uretra feminina como região erógena (estímulo sexual), uma vez que sua mucosa (revestimento) é muito sensível, podendo trazer dor e sangramento, além de facilitar a entrada de germes na cavidade vesical (bexiga).

 

 

Pode haver masturbação uretral na mulher ?

Pelas mesmas características anatômicas descritas acima, o estímulo uretral, geralmente doloroso, pode ser distorcido em algo prazeroso, como ocorre também no sexo anal (sodomia).
A maior dificuldade entretanto é como e com o que estimular a uretra, que tem um diâmetro muito menor que o da vagina. Em alguns casos de perversão (obter prazer por meios incomuns ou anormais), retiramos de bexigas femininas, "clips" de papel, tampa de caneta BIC, tampa de agulha de injeção, pedaço de arame (com cálculo incrustado). Da mesma maneira, é uma prática condenada, pelo risco de introdução de corpo estranho na bexiga, perfuração da uretra ou bexiga, estenose de uretra, contaminação, etc.

 

 
Como a mulher e o homossexual podem sentir prazer no sexo anal ?

Não creio que a palavra certa seja prazer, uma vez que a penetração do ânus pelo pênis é dolorosa e desconfortável, pois o esfíncter anal (músculo que controla a saída das fezes) e o reto, não são órgãos copuladores. Pode ser que seja uma maneira de satisfazer o parceiro(a) ou não correr o risco de uma gravidez. Existem riscos nesta prática, como a  laceração (ruptura) numa penetração mais intempestiva, com incontinência fecal ou fístula anal. A mucosa retal é muito absorvente (supositório), com isto aumentando a chance de contrair DST, como AIDS. Isto sem falar do risco de fratura de pênis (corpos cavernosos), ruptura do freio bálano-prepucial, e corpo estranho retal, como preservativos, vibradores,  frascos de vidro, desodorantes, etc.

 
Após o sexo anal sem lubrificante meu ânus sangrou um pouco. O que aconteceu?

O ânus tem um forte tônus muscular para evitar a saída das fezes e gazes. Este tônus ante o atrito com o pênis ereto pode machucar sua delicada mucosa interna e consequentemente sangrar. O ideal é que a penetração anal seja bem lubrificada (KYGel, por exemplo) para evitar fissuras e até rupturas do ânus e do reto. Pelo que você disse, deve ser apenas alguma fissura, pois o sangramento foi pouco. Evite o sexo anal por alguns dias, mas fique atento que você pode se ferir novamente sem usar a lubrificação adequada.
 

 
Uma mulher pode ter mais prazer com um homem de pênis pequeno (13cm) do que com um pênis maior?

O prazer não depende do tamanho, nem para ele, nem para ela. Sua dúvida é muito comum em consultório. Um pênis muito grande, fora dos padrões normais, causa até desconforto na mulher, pois uma vagina tem em média 10 cm de profundidade até o colo uterino, que é extremamente sensível e doloroso ao toque. A mulher não se preocupa com o tamanho e sim com uma série de outros fatores que para elas são mais importantes, como carinho, afeto, sensibilidade, o "clima",  etc.

 

Após um parto normal, o tamanho do pênis pode influenciar o prazer da mulher?

O parto normal pode acarretar num aumento do diâmetro da vagina, que é facilmente corrigido por exercícios pélvicos (os mesmos para incontinência urinária).

 

Pode ocorrer fecundação sem ejaculação?

Durante a sua fase de excitação, ambos os sexos produzem seus "lubrificantes" para uma relação sem "atritos". O do homem é produzido na uretra e na próstata e pode conter espermatozóides, isto é, pode ocorrer fecundação, mesmo sem ejaculação. Na mulher, ocorre uma intensa lubrificação vaginal às custas das glândulas que se encontram na vagina. As colorações de ambos podem variar de um líquido translúcido (transparente,incolor) ao esbranquiçado, ambos viscosos. Para saber se há doença envolvida, só por meio de exames.
 

O ato de ingerir esperma durante o sexo oral  pode trazer algum mal para a saúde da parceira?

Desde que você não possua nenhuma doença infecto-contagiosa viral ou bacteriana, como AIDS, hepatite, gonorréia, clamídia, HPV, etc., nada de mal deverá acontecer a ela. O sêmen, será logo destruído no estomago, não sendo nem mesmo absorvido, desde que não haja doença presente, como frisado acima.

Já se você fizer sexo oral com uma mulher contaminada pelas mesmas doenças, você vai se contaminar via-mucosa oral dela, se ela machucar seu pênis com os dentes, mesmo que sejam machucados microscópicos, o risco é grande.

 

Em toda relação sexual (anal/vaginal) ocorre o rompimento de "veias" ou "vasos sanguíneos",  havendo a liberação de sangue, mesmo que invisível à olho nú?
 
O natural é que a penetração seja vaginal, que é o órgão "receptor" do pênis, para tanto, é elástica, lubrifica-se com a excitação, é pouco absortiva em relação aos componentes do esperma. Tudo isto colabora para que o trauma seja mínimo. Uma relação sem os preâmbulos (excitação) pode resultar em laceração, macro ou microscópica, com absorção dos componentes depositados na vagina, inclusive vírus, como AIDS, hepatite C, B e Delta, etc. O mesmo pode-se esperar no pênis.

No ânus e reto, locais não idealizados para o sexo (sodomia), existe uma musculatura mais forte e nenhuma lubrificação natural. A elasticidade é substituída pela profundidade, muito maior que a vagina. A absorção, mesmo com mucosa íntegra existe, pois a mucosa intestinal é absortiva, podendo haver contaminação. Isto tudo, associado ao provável trauma microscópico, faz da relação anal uma prática perigosa aos dois participantes: Fratura de corpos cavernosos no homem (e futuro Peyronie) e laceração ou ruptura anal na mulher ou homem, sem falar das DST.

 
Meu ritmo sexual é de uma transa por noite, pois após a segunda ejaculação o pênis fica dormente. Sei que muitos homens transam 3 vezes em uma noite e eu não consigo. Isto é normal?

A sexualidade do indivíduo é como uma identidade, cada um tem a sua. Alguns são mais fogosos, outros, mais calmos. O sexo tem  valores diferentes para pessoas diferentes, mas, você já está acima da média, que é de três vezes por semana. Quanto às demais vezes, depois da ejaculação vem o período refratário, quando há liberação de endorfinas (um hormônio que causa uma
sensação de bem estar) com relaxamento geral do macho (inclusive da musculatura peniana) , evitando qualquer ereção por um prazo que pode chegar a minutos ou horas, dependendo da motivação. No período refratário, o macho normalmente está resistente à excitação.

O que se vê em filmes pornográficos são montagens e os atores (que afinal precisam mostrar serviço...) são submetidos a tratamentos para terem ereções prolongadas, como injeções intracavernosas (no pênis), próteses, viagras, etc.

 

Pode-se contrair alguma doença ao se fazer sexo anal com uma pessoa não infectada por nenhum vírus?

Não, pois as bactérias normais desta porção do tubo digestivo, não são patogênicas (causam doenças) ou transmissíveis pelo sexo anal.

 

Masturbação causa alguma doença?

Pesar dos tabus relacionados à masturbação, alguns até religiosos (pecado), a masturbação é inócua ao organismo, masculino ou feminino, não resultando em fraqueza de saúde, frigidez ou impotência sexual. O excesso masturbatório ou fixação pela masturbação, pode ter cunho sexual, isto é, dificuldade de relacionamento com o sexo oposto ou autoerotismo exacerbado pela timidez ou vaidade.